Robson Perez Jr.

Otimismo do final de 2019 e início de 2020 não resistiu a um trimestre

O ano de 2020 começou turbulento politicamente, cenário comum na política brasileira ao menos desde 2016. Porém, desenhava-se no início deste novo ano um horizonte azul para a economia, ao menos era o que se conseguia depreender diante dos prognósticos positivos da equipe econômica do governo, como também da previsão de muitos agentes do mercado.

A pandemia deprime a economia e isola Bolsonaro, aprofundando a crise política

Quem acompanha o debate econômico e político no Brasil sabe o quanto há de arestas e divergências, que muitas vezes parecem insuperáveis, tanto na forma como escolas econômicas ou partidos políticos entendem a realidade concreta quanto nas diversas propostas para a resolução dos problemas da sociedade. Esses tipos de conflitos são comuns em democracias e permitem através do livre debate, por vezes duro, a legitimação de propostas e ações para a sociedade como um todo ou mesmo parte dela, quando pensamos nos interesses das minorias.


Maquiavel e a conjuntura política atual

A história não é cíclica, isto é, os fenômenos não estão se repetindo ao longo do tempo. No entanto, isso não impede que façamos o exercício de buscar em referências históricas instrumentos analíticos úteis para nos auxiliar a compreender conjunturas contemporâneas. Nesse sentido, parece oportuno retornar a alguns pensamentos do filósofo italiano Nicolau Maquiavel que, para muitos, é o pai da Ciência Política.